terça-feira, outubro 4

:. machu picchu, sonhando a vida! .:

Machu Picchu 
Eu estou conhecendo alguns lugares deste mundo e também estou aprendendo, e em cada aprendizado eu me modifico, tento ser uma pessoa melhor, as vezes eu falho, mas as vezes,... as vezes eu consigo. Eu estou grata pela vida, e tenho saudades daqueles que um dia fizeram parte do sonho de futuro, que bom que a vida é justa e hoje a balança de perdas e ganhos está equilibrada. Cada sorriso, cada novo amigo, os novos horizontes dessa viagem, me fizeram ter mais respeito e ser mais agradecida. Vi pessoas sendo gentis com estranhos, respeitando sua história. Hoje, pela janela do avião, vejo a cidade de Cusco, onde passei 6 dias andando pelas mesmas ruas, reconhecendo pessoas, vivendo uma história completamente diferente, sendo livre.. dançando a música tocada em ritmos aleatórios da vida.

Um sonho conhecer Machu Picchu, e posso dizer com grande alegria: que venha o próximo sonho! Andar por esse labirinto de pedras, me fez querer mais da vida, fico feliz de pensar que se a vida me fugisse hoje, nada estaria pendente, por dizer, por fazer. Nada! Sonhos traçados e realizados até aqui. Palavras ditas, mente limpa, coração limpo, tudo em seu lugar.

04/05/2015



quarta-feira, junho 17

Foi em linha reta

E depois que aprendeu isso, deixou de se importar com o que pensariam ou com o que ela mesma julgaria errado. O importante era não perder tempo pra ser um pouco mais feliz. E então ela foi. Foi em linha reta e dizem por aí que ela tem sido muito mais feliz do que antes era, quando ainda colocava os outros, a culpa e um monte de obstáculos à frente dela.

terça-feira, junho 9

:o contorno:

Suas mãos deslizando pelo violão,
Ajeitando o cabelo antes de sair,
Seu rastro marcado pelo perfume.
O seu dia aconteceu sem você,
Parabéns cantado somente na memória,
E nos braços a falta de um abraço.

Feliz aniversário meu irmão!

:o melhor:

Alguém ficou com o nosso melhor.
Não foi você,
E também não fui eu.

segunda-feira, março 30

::um engano agradável::

Vencemos!
Uma batalha contra tantos sons
Com sorte, os golpes foram sempre de leve
Perdemos...
Uma batalha contra nós mesmos 
Um golpe certeiro nos derrubou em um abismo.

quinta-feira, novembro 6

quarta-feira, novembro 5

::doce como amoras::

As vezes veem, e algumas vezes também se vão...
Queremos cruzar a linha.
O brilho diminui, no seu olhar o pensamento, o sentimento...
As vezes nos levam a lugares que não costumamos ir..
Uma nova cor, e nos fazem ampliar o que antes não tinha espaço.
Também se acende.
No caminho turvo e irregular, eles brilham, e nos mantem na linha..
Doce como amoras somam os momentos, os amigos, que trazem humor a vida mais miserável, onde o sorriso sincero é o que mantém tudo que um dia transbordou no limite.
Para algumas coisas, isso basta!

sexta-feira, setembro 5

::ajustando o volume::















o país está crescendo, correndo, se movendo,
e você ai parado enquanto tudo acontece.

não joga tuas palavras no vento, agitando, revolucionando,
você que não sabe nada e causa.

mesmo quando ela* não vai bem, 
a gente pede uma luz pro cara la de cima,
uma estrela guia e pra melhorar o clima,
e não fica apontando dedo na cara de ninguém


....pensando alto.

quarta-feira, setembro 3

::primaveras no tempo::


A gente brinca de ser criança, e de vez em quando, de ser adulto também.
Passeando nas horas... o que a gente diz quando a linha do tempo de uma pessoa é interrompida no instante que os sonhos e o desejo de vencer encontram-se em seu mais elevado nível?

Falta palavras...
...e na falta a gente tenta.

A gente se perde em ser criança... e as vezes, em ser adulto também.
Retrocedendo nas horas do tempo, os anos se confundem, quem é mais velho?

[Para mim, quando a gente desce o trem da vida, o tempo pára, e continua só para os que ficam.]

Belo e jovem para sempre.. e logo, mais novo do que sou hoje e tao pouco essa diferença continuará a crescer.

as vezes a minha data me assusta mais do que a sua ultima-

A gente é criança e adulto também.
e nas horas a gente tem o nosso momento.


por Yara Machado

domingo, julho 27

O tempo é um rio que corre...


Antes de ser eu mesma 
(ou isso que penso ser),
eu jogava esconde-esconde
com meus fantasmas
-os terríveis e os gentis.

Os dias me viravam do avesso 
e desviravam,
as horas me trançavam
para me desarrumar.
Quanto mais me busquei
nos espelhos secretos,
mais me perdi de mim.

Quando chegou o tempo da verdade,
entendi que sou
-num fundo porão das horas-
reflexo de reflexo
de reflexo,
nada mais.
(E que deve ser assim.)

Lya L.